31 de maio de 2010

Os brasileiros desejam um Brasil velho ou jovem?


Enquanto no Brasil a população envelhece e a taxa de nascimentos diminui (segundo pesquisa do IBGE), do Chile chega-nos um belo exemplo que, se aplicado em nosso País, poderia reverter o deplorável e triste processo de envelhecimento da população brasileira.

Apesar de eu ter sérias restrições ao novo presidente chileno (na foto com sua família) Sebastián Piñera (devido a algumas inaceitáveis declarações feitas durante sua campanha eleitoral), ele promoverá algo que merece louvor: um fortalecimento da instituição da família — muito debilitada no anterior governo socialista — e um rejuvenescimento de seu país (Vide notícia abaixo*).

Pelo contrário, o governo brasileiro, promovendo a diminuição da natalidade, promove o envelhecimento de nossa nação, propagando métodos contraceptivos; facilitando ao máximo o aborto e a esterilização cirúrgica; com a maciça distribuição de preservativos e de pílulas anticoncepcionais por meio do Ministério da Saúde — que mais adequadamente poderíamos designar como “Cemitério da Saúde”, uma vez que propaga o envelhecimento e a morte, e não a vida.
Famílias diminutas + baixa taxa de nascimentos = país velho e decadente.
Para evitar que o Chile tenha o infeliz resultado dessa equação, vejam o que propõe o governo do país andino, conforme alvissareira notícia publicada no dia 22 último pela “Folha de S. Paulo”:

Chile promete prêmio a casais que chegarem aos 50 anos de matrimônio
GUSTAVO HENNEMANN
De Buenos Aires
"Os casais chilenos que completarem 50 anos de matrimônio ganharão um prêmio do governo por fortalecerem a instituição familiar.

O anúncio foi feito ontem pelo presidente do Chile, Sebastián Piñera, católico conservador que integra o partido de centro-direita Renovação Nacional.

O plano foi divulgado durante a primeira prestação de contas ao Congresso do mandatário, que tomou posse no último mês de março.

Em seu discurso, ele citou Deus cinco vezes e disse que o Chile está em dívida com as famílias, o que exige medidas urgentes para 'proteger e fortalecer' os lares do país.

'Estudamos a chance de dar incentivos tributários e prêmios educativos às famílias com mais de dois filhos e premiaremos com um bônus de bodas de ouro os casais que completarem 50 anos de casamento', disse o presidente.

Ele não disse qual será o valor do prêmio nem como pagará a recompensa. Piñera também prometeu aumentar os valores repassados a famílias pobres por meio de programas sociais, com o objetivo de estimular os casais a terem mais filhos.

'Não podemos seguir indiferentes ante a diminuição da natalidade e dos casamentos, nem ao fato de nascerem mais crianças fora do que dentro do matrimônio'.

Ele disse ainda que a família, além de formar cidadãos, é o melhor caminho para fortalecer valores, evitar a droga, a delinquência e o alcoolismo".
(* http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2205201011.htm ).
__________
PS: Uma “curiosidade”:
Diversos jornais castelhanos publicaram trecho integral da declaração do novo mandatário chileno, mas a “Folha de S. Paulo” eliminou a frase abaixo, que assinalei em vermelho. Por que será? Falta de espaço? Censura? Ou o “resumidor” seria uma pessoa favorável ao aborto?...

"Não podemos seguir indiferentes ante a diminuição da natalidade e dos casamentos. Nem ao fato de nascerem mais crianças fora do que dentro do matrimônio. Nem ao drama de que a cada criança nascida viva uma deixa de nascer devido aos abortos”.

Se alguém desejar, poderá conferir minha crítica, por exemplo no site oficial do governo chileno:

http://www.gobiernodechile.cl/especiales/mensaje-presidencial-21-de-mayo/:
“En Chile necesitamos, y con urgencia, proteger y fortalecer a la familia.
La familia es el lugar donde, por esencia, se forman los ciudadanos, reciben y dan amor, acogimiento, formación y es el mejor camino para fortalecer valores, el desarrollo integral y evitar la droga, la delincuencia y el alcoholismo.
No podemos seguir indiferentes frente a la disminución en la natalidad y nupcialidad. Al hecho que nazcan más niños fuera que dentro del matrimonio. Al drama que por cada niño nacido vivo uno deja de nacer debido a los abortos. Al incremento de los embarazos adolescentes no deseados.
Estamos en deuda con nuestras familias.
Para promover la natalidad aumentaremos el Subsidio Único Familiar y aseguraremos a las familias más vulnerables un Ingreso Ético Familiar. Adicionalmente, estudiaremos la factibilidad de entregar incentivos tributarios o bonos educativos a aquellas familias de más de dos hijos y premiaremos con un bono de Bodas de Oro a las parejas que cumplan 50 años de matrimonio”.

2 comentários:

Manolo disse...

Que diferença! O governo chileno, se realmente proteger a família, prosperará enormemente (a nação terá um bonito e grande futuro). O governo brasileiro, se continuar a solapar a família como está fazendo agora, retrocederá à época das cavernas.
Outro assunto: V. tem razão em criticar a Folha de São Paulo. Veja só: aquilo que V. comentou, na notícia sobre o Estatuto do Nascituro, como sendo uma vitória, a Folha de São Paulo, do dia 22, comentou do seguinte modo: "O ESTATUTO DO NASCIMENTO É VISTO COMO TOTAL RETROCESSO, PELOS GRUPOS QUE APOIAM A DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO".
Bom, se os abortistas consideram um total retrocesso, então foi mesmo, para nós que defendemos a vida e não a morte, uma VITÓRIA.

Anônimo disse...

Você não acha certo a diminuição da taxa de natalidade? sendo que a papulação desfavorecida é a que mais tem filhos sem ter condições de sustento? e já pensou no fato que a terra está indo em direção a um super povoamento sendo assim esgotando os recursos para nossa própria sobrevivência? e você ainda reclama que a taxa de natalidade está diminuindo!
Até a décade de 1970, em certos países considerava-se o controle do nascimento uma tese racista, reacionária. Hoje, os cidadãos da maioria das nações consideram importante o controle da natalidade e do planejamento familiar como formas de mantes a qualidade de vida da população.
COMO ALIMENTAR UM NÚMERO CADA VEZ MAIOR DE PESSOAS? não podem ampliar indefinidamente as área de terra cultivada!! Muitas delas já tiveram seus recursos esgotados e o que resta não pode ser explorado de forma predatória. PENSA NISSO!