31 de março de 2008

Ato público contra o aborto lotou a Praça da Sé

Ato público contra o aborto lotou a Praça da Sé

Ontem, numa bela manhã iluminada por um sol de outono, estive na Praça da Sé, na capital paulista, a fim de participar de uma manifestação contra o aborto. Ela foi organizada pelo "Comitê Estadual do Movimento Nacional em Defesa da Vida – Brasil sem Aborto" e por várias outras entidades anti-abortistas.

Ao chegar àquela enorme área, deparei-me com um mar... de gente. A Praça da Sé já estava lotada. Mas, à maneira de novas ondas, continuava a afluir gente de todos os lados. Uma hora depois, aquele enorme espaço superlotou-se.

Fiquei surpreso com quantidade de jovens entre os manifestantes. Todos bradando com entusiasmo slogans contra a legalização do aborto no Brasil. Vários deles sustentavam faixas com dizeres contundentes como, por exemplo, esses dois que anotei:

“Mãe, estou dentro de seu ventre para que me defendas,
e não para que me mates”.

“Não queremos que a bandeira brasileira seja manchada
com o sangue do aborto”

Com efeito, tramita no Congresso Nacional o PL 1135/91 que legaliza o aborto no Brasil, em qualquer caso e até o 9º mês de gravidez (desde a concepção até o momento do parto...). Será, portanto, a legalização do crime!

Alerta!
Devemos redobrar nossa atenção, pois possivelmente nos próximos meses será votado o nefando projeto que viola a Lei de Deus — que manda "NÃO MATAR" — e também oposto à esmagadora maioria do povo brasileiro que é contra o aborto. Recente pesquisa do “Datafolha” confirma isso: 87% dos entrevistados se posicionaram contra a ampliação da Lei do Aborto. Mas não podemos ser otimistas e imaginar que, uma vez que estamos num País democrático, os congressistas votarão de acordo com essa imensa maioria. Quantos e quantos projetos foram aprovados — na calada da noite — à revelia da maioria da população!

“Patrulhamento ideológico” da esquerda
Esperamos que os parlamentares — já que se dizem “democráticos" — entendam bem o que representou esse gigantesco NÃO ao aborto, bradado na Praça da Sé naquele memorável dia 29 de março. Que eles não sejam cegos a essa realidade, como cegos revelaram ser os órgãos da mídia ao se negarem "ver" essa grande manifestação de milhares de brasileiros. Sabotagem simplesmente escandalosa!

Parece que a grande mídia só tem olhos para ver pífias e diminutas passeatas de abortistas. Estes, sim, têm voz e vez e muito espaço nela. Por quê? Certamente porque tais órgãos midiatícos são insensíveis ao “grito silencioso” dos nascituros que são trucidados todos os dias pelas práticas abortistas — crimes verdadeiramente hediondos!
Pretende a mídia esquerdista abafar, no mesmo silêncio dos bebês abortados, a voz daqueles que bradaram na Praça da Sé em defesa da vida humana desde sua concepção?

Nova e tirânica inquisição
Uma tremenda contradição: o Estado brasileiro, que é contrário à pena de morte (até de assassinos que cometeram os crimes mais hediondos), pretende, com o referido Projeto de Lei, aplicar a pena de morte aos inocentes que se encontram no ventre materno. Precisamente a matança daqueles seres indefesos, que mais necessitam da proteção do Estado. Haja hipocrisia!
Embrioões humanos
Tanto pelas faixas levantadas, como por pronunciamentos de oradores, houve também, na Praça da Sé, protestos contra as pesquisas com células-tronco embrionárias, uma vez que a vida se inicia na concepção (vide o “post” abaixo, intitulado “Não é lícito eliminar uma vida ainda que seja para salvar outra”). Se aprovadas tais pesquisas, abrir-se-ao de par em par as portas para a ampliação da lei do aborto — lei assassina (aliás, conforme o slogan de uma outra faixa).

Seguem algumas das fotos que tirei dessa grande manifestação, a qual, se Deus quiser — e Ele quer... —, há de repetir-se em outras cidades.
No palanque, junto à escadaria da Catedral da Sé, os organizadores e/ou oradores do memorável evento



Dra. Maria Odete Duque Bertasi, Presidente do IASP –
Instituto dos Advogados do Estado de São Paulo
Dr. Cícero Harada,presidente da Comissão da Defesa da República e Democracia,da Ordem dos Advogados do Brasil-SP
Dra. Alice Teixeira, professora associada de Biofísica da UniFESP/EPM na área de Biologia celular

8 comentários:

alexandre e alana disse...

Grande manifestação!!
Deus oa abençoe!!

Anônimo disse...

Atéquando deixaremos a mídia "aloprada" censurar os aconteciments que não lhe agrada? Se não fosse a "mídia" alternativa ficaríamos sem saber desse grande acontecimento. Estaríamos desinformados, apesar de ler vários jornais e revistas. Perguntei a vários colegas e ninguém viu nada, REALMENTE NADA ATÉ AGORA, da concentração Pró Vida no centro de Sampa.
Ogrigado pela informação. Vou passá-la prá frente.
Rena

roman disse...

Se for como por cá... perca a esperança.

Quem tem poder sabe dar a volta para chegar onde quer. Desejo que o voto do povo pese na decisão de não matar.

Saudações

roman (Portugal)

Anônimo disse...

Paulo Roberto
Paz e alegria no Espírito Santo.
Estamos verdadeiramente lutando contra a aprovação de tais leis. Lutando pela oração e de formas concretas, manifestando nossa posição a favor da vida
Rezemos e peçamos ao Senhor que em sua infinita misericórdia não permita que nenhuma lei desumana seja aprovada em nosso país.
Deus o abençoe
Carmelitas Mensageiras

Anônimo disse...

Caro Paulo Roberto Campos,

Como vai?

É muito bom saber da cobertura que o senhor fez durante o ato público contra o aborto! Coloquei um link para o seu blog para que pudessemos ver as fotos e ler o interessante e inédito relato, veja:

http://diasimdiatambem.wordpress.com/2008/03/31/no-brasil-pobre-nao-tem-direito-de-nascer/

Possa Nosso Senhor favorecê-lo em todas as circunstâncias.

Wagner Moura

Anônimo disse...

Brasil contra o aborto: belas fotos, bela reportagem, não julgaria possível uma tal reação contra o aborto. Surgem novas esperanças.
Nelson

liberdade de expressão disse...

Olá,

Fizemos referência a esta postagem:

Aborto, família, notícias abafadas
http://liberdadedeexpressao.multiply.com/journal/item/219

Saudações,
Carlos

Liberdade de Expressão - http://liberdadedeexpressao.multiply.com

Wendel Pinheiro disse...

Caro Paulo Roberto Campos, amigos e leitores do blog...


Como evangélico e como militante de esquerda, não poderia deixar, desde já, de elogiar o ato público na Praça da Sé, na defesa da inviolabilidade à vida. Li na Rede PDT a sua intervenção, Paulo, e adoraria se este evento estivesse no Rio de Janeiro, onde prestaria o meu apoio irrestrito.


Infelizmente, diversos segmentos da esquerda, junto a alguns pretensos setores liberais da direita alegam, sob o pretexto do livre uso do corpo (a partir do "direito individual"), poder utilizar-se da prática do aborto.


Ora, quando determinados setores fazem a apologia ao aborto, escondem sobre si a inaptidão do Estado em amparar os futuros cidadãos, estendendo a eles os direitos essenciais como educação, saúde, lazer, cultura, dentre outros. Defender o aborto é retroceder aos valores mais caros que a sociedade custou a admitir para si, a partir dos valores cristãos: O DIREITO A VIDA!


Quem admite o aborto, não ama sequer a si mesmo, uma vez que devemos, conforme a ordenança de Jesus, "amar ao próximo como a si mesmo". E o surgimento de uma nova vida, a partir de um embrião formado, é a concepção de uma nova vida.


Um abraço a todos e que Deus sensibilize a sociedade brasileira, impedindo este imbróglio que é o PL 1135/91!


Atenciosamente,


WENDEL PINHEIRO
Membro do Diretório Nacional da Juventude Socialista do PDT (JS-PDT)