15 de março de 2014

ATO DE PROTESTO CONTRA A PEÇA BLASFEMA “JESUS CRISTO SUPERSTAR”

Em frente do teatro “Tomie Ohtake”, ato público contra a peça blasfema “Jesus Cristo Superstar”

Paulo Roberto Campos 

Nesta Sexta-Feira (14-3-14) começou a ser apresentada em São Paulo a peça blasfema “JESUS CRISTO SUPERSTAR”, que de modo sumamente infamante denigre e escarnece de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Fé Católica. Ele é apresentado como um revolucionário amante de Santa Maria Magdalena, os Apóstolos como bêbados etc. Para maiores informações, aconselho o site www.ipco.com.br


A respeito, e também neste mesmo dia, teve início uma campanha de rua promovida pelo INSTITUTO PLINIO CORRÊA DE OLIVEIRA. Durante a tarde deste dia, a campanha consistiu em uma distribuição de um manifesto ao público em geral sobre tal peça teatral que afronta a Honra do Divino Redentor e convidando a todos para participarem de um abaixo-assinado, por meio do site do Instituto [foto ao lado e abaixo]. O abaixo-assinado já alcançou a cifra de 35 MIL firmas.




E à noite — pouco antes do início da ignóbil “Ópera-Rock” — houve um ato de protesto, bem em frente ao teatro “Tomie Ohtake” [foto ao lado], que consistiu em brados de slogans contra a peça e em reparação a Nosso Senhor, bem como a recitação de um terço e cânticos em desagravo [fotos mais abaixo]. Atos análogos ocorreram algumas outras capitais. 

Também em reparação pelo ultraje lançado contra a figura sagrada do Salvador, transcrevo aqui palavras de Plinio Corrêa de Oliveira que extrai da "Via Sacra" composta por ele em 1951. Palavras lapidares que explicitam o quanto as dores morais são piores que as corporais. Neste sentido, pode-se afirmar que aqueles que zombam de Nosso Senhor  como ocorre na peça teatral "Jesus Cristo Superstar" — renovam em nossos dias a Crucifixão do Divino Redentor.  


“Vossa dor maior não foi por contemplar os inexprimíveis padecimentos corpóreos de vosso Divino Filho. Que são os males do corpo, em comparação com os da alma? Se Jesus sofresse todos aqueles tormentos, mas ao seu lado houvesse corações compassivos! Se o ódio mais estúpido, mais injusto, mais alvar, não ferisse o Sagrado Coração enormemente mais do que o peso da Cruz e dos maus tratos feriam o Corpo de Nosso Senhor! Mas a manifestação tumultuosa do ódio e da ingratidão daqueles a quem Ele tinha amado... a dois passos, estava um leproso a quem havia curado... mais longe, um cego a quem tinha restituído a vista... pouco além, um sofredor a quem tinha devolvido a paz. E todos pediam a sua morte, todos O odiavam, todos O injuriavam. Tudo isto fazia Jesus sofrer imensamente mais do que as inexprimíveis dores que pesavam sobre seu Corpo”.






















2 comentários:

NEREU.PEPLOW_ADVOCACIA&AIKIDO disse...

Esta "pequena" grande resistência do IPCO tem o mesmo poder que um reflorestamento em uma área devastada. E, pelo que se vê ocorrer hoje em dia mundo afora, pode ser considerado não só o único e o último, como também o verdadeiro bastião em defesa da doutrina e da fé católicas. Se tem um grupo que não vai "entregar os pontos", é esse do IPCO.

Valéria Harmendani disse...

Estranho o silencio da hierarquia eclesiástica no Brasil e sobretudo
em São Paulo!
Quem são esses pastores que não cuidam de suas ovelhas?! A CNBB e outras entidades religiosas?!
Que Deus tenha misericórdia da humanidade!
"...os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer,
várias nações serão aniquiladas, por fim o Meu Imaculado Coração Triunfará"(Nossa Senhora em Fátima-1917)