23 de dezembro de 2014

O Menino Jesus foi expulso da Prefeitura de São Paulo — gestão PT, é claro!


“E deu à luz seu Filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria”. (Lc 2, 6-7). 


Paulo Roberto Campos
prccampos@terra.com.br


Nos últimos anos, na época do Natal, era montado um Presépio bem em frente à Prefeitura da cidade de São Paulo (estabelecida no edifício Matarazzo, junto ao famoso Viaduto do Chá). 


Não um Presépio rico, artisticamente falando, mas um grande Presépio, com as imagens de Jesus, Maria e José, de Anjos, dos três Reis Magos, dos pastores com suas ovelhas, sem faltar do burrinho e da vaquinha aquecendo a manjedoura. Como este cenário [imagens ao lado e abaixo], fotografado em dezembro de 2012.

Em vários anos, lembro-me de ter passado por aquela parte central da capital paulista e parado frente ao Presépio, onde rezava e gostava de ficar observando as reações dos transeuntes. Indescritível era a alegria que se notava nas fisionomias. Muitos vinham acabrunhados, apressados, aflitos; paravam um pouquinho, e saíam visivelmente aliviados, partiam em paz. Sobretudo indescritível era a alegria das crianças. Eu tinha a impressão de que elas se sentiam tonificadas em sua inocência. 

No período do Natal do ano passado, conversando com uma
senhora, que tinha parado perto de mim para também venerar o Presépio, ela contou um episódio que não me esquecerei nunca: Sua vizinha tinha visitado o Santo Presépio com seus dois filhos pequenos, que manifestaram um contentamento indizível e tiraram fotos junto às imagens. No dia seguinte ao Natal, o menor deles disse: “Mãe, eu ganhei cinco presentes. Vamos visitar de novo o Menino Jesus? Eu quero dar um presente para ele”. Comovida, a mãe abraçou e beijou seu pequenino, e, mais tarde, levou-o para visitar o Presépio; só que desta vez numa Igreja para que lá pudessem depositar junto à Gruta de Belém dois presentinhos — um desse seu filho menor e outro de seu irmão, dois anos mais velho, que também manifestou desejo de imitar o nobre gesto: presentear o Divino Infante. 

Esse é apenas um episódio que testemunhei, mas quantos e quantos outros fatos análogos não se passaram naquele lugar onde diariamente transitam mais ou menos 1 milhão de pessoas? 


Lamentavelmente, fatos maravilhosos como esse não ocorrem neste Natal de 2014. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que pertence ao famigerado PT, no exato lugar do Presépio mandou colocar essa ridícula cena retratada pela foto à esquerda, que tirei neste dia 22 de dezembro de 2014 — quando tive que ir ao centro da cidade para algumas compras.

Fiquei surpreso e indignado vendo este gigantesco monumento ao ridículo e ao comércio justamente naquele lugar onde esperava reencontrar o tradicional Presépio dos anos anteriores! Uma grave ofensa praticada contra a Sagrada Família!

Vendo aquilo, pensei: “No Natal, época própria para homenagear o Divino Aniversariante, na Prefeitura Municipal comemora-se o aniversário, expulsando o aniversariante! Um ato de ‘Cristianofóbia’! Um ato que fanaticamente revela a aversão a Cristo e ao Cristianismo! Os responsáveis na Prefeitura por essa expulsão do Menino Jesus terão que prestar severas contas a Deus!” 
*       *       *
Apenas para rememorar o que todos sabem: a Sagrada Escritura narra que, nas vésperas do nascimento do Menino Jesus, houve um decreto do Imperador César Augusto, ordenando um recenseamento. Assim, todos os habitantes tinham que ir às suas cidades de origem para se registrarem. Então São José e Maria Santíssima partiram de Nazaré para a cidade de Belém, porque eles pertenciam à dinastia do Rei David, para se alistarem. Chegando a Belém — que estava abarrotada de pessoas que ali chegaram também em obediência ao decreto de César — São José bateu em várias portas pedindo abrigo, mas nenhuma se abriu para recebê-los... Foram então à hospedaria, onde ficavam as caravanas, mas não encontraram lugar... 

Indo de um lado para outro à procura de pousada, São José
avistou uma gruta. Ele e a Santíssima Virgem entraram e viram que era um lugar transformado em estábulo, onde pastores abrigavam rebanhos. Ali se passou o maior acontecimento da História da Humanidade: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). Ali o Salvador do Mundo, o Rei do Universo nasceu de uma Virgem; ali cantaram os Anjos: “Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade” (Lc 2, 14). 
“Estando eles ali, completaram-se os dias dela. E deu à luz seu Filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria”. (Lc 2, 6-7). 
Neste ano, em frente à Prefeitura de São Paulo administrada pelo PT, repetiu-se a recusa à Sagrada Família. O Divino Menino Jesus não teve acolhida; Ele foi expulso e em seu lugar colocaram um gigantesco e horrendo “Papai Noel” com sua bicicleta! No fundo, o que o senhor prefeito disse para a Sagrada Família foi: “Vá mendigar algum lugar fora de São Paulo, aqui não tem lugar para vocês”

Mergulhados que estamos neste caos desta grande cidade, mais do que nunca temos necessidade de ouvir o cântico dos Anjos naquela noite bendita entre todas as noites “Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade”. A paz que tanto necessitamos é a verdadeira paz que Aquele Divino Menino veio trazer a todos os homens de boa vontade. Mas podemos constatar que nem todos os homens são de boa vontade... 

Não reclame, senhor prefeito, e todos os que participaram dessa expulsão, quando desejarem bater às portas do Céu e elas permanecerem fechadas..., quando suplicarem alguma graça e não forem atendidos... 


E de nossa parte? Vamos também celebrar o Natal fazendo festa para o gordo Papai Noel? Vamos convidar nossos parentes e amigos, mas fechando as portas de nossas casas (e de nossas almas) para que o Aniversariante não entre? Vamos nos lembrar de todos e nos esquecermos do Aniversariante? Vamos presentear todo mundo, mas não vamos presentear o Divino Aniversariante, que deseja apenas morar em nossos corações? 

Rezemos em reparação à Sagrada Família por essa grave ofensa cometida pela administração municipal. Mas também podemos reparar tal ofensa fazendo o contrário do ato “Cristianofóbico”: vamos celebrar com autenticidade o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo; montando todos os anos em nossos lares o Santo Presépio; esforçando-nos para manter viva essa encantadora tradição e “expulsando” este costume neopagão, tido como “politicamente correto”, de exaltar a figura caricaturesca e mercantilista de um rechonchudo Papai Noel. 

Assim, poderemos atrair de volta as bênçãos e graças e as luzes sobrenaturais do Natal para nós e nossas famílias, para as nossas cidades e para o Brasil verdadeiramente Cristão, devoto de Jesus, Maria e José.

5 comentários:

Hebert De Paiva Rezende disse...

Quem vota no PT, troca o Menino Jesus, a Sagrada Família pelo "papai-noel" maçônico! Chega disso, marxismo demais na vida e a hipocrisia do Brasil se achar católico, cristão diante dessas barbáries. Tanto católico citando o velho que sai da chaminé ( para não dizer do Inferno) sem se queimar, com um saco de propinas para esquecer Cristo!!! Absurdo.
Hebert De Paiva Rezende

Vicente Sena disse...

PT PARTIDO DAS TREVAS só podia ser!

Regina disse...

Parabens à quem escreveu e fotografou. Enfim, somos nós, o povo dessa geraçao, quem realmente bate a porta na cara da Sagrada Família, para nao faze-la entrar. Aqui na França aconteceu EXATAMENTE a mesma coisa. Quando o presépio foi montado num ministério, os politicos mandaram desfazê-lo! Pobre Jesus! Acolhamos entao, com carinho, dentro do nosso coraçao.

jose antonio ortega ruiz disse...

INFELIZMENTE, DIGO ISSO, POIS PESSOALMENTE TAMBÉM O PRESENCIEI, FORAM MUITOS, MAS MUITOS LOCAIS, COMERCIOS, SHOPPINGS, LOJAS, CASAS, QUE EXPLULSARAM ” O VERDADEIRO ANIVERSARIANTE, CRISTO JESUS, ONDE MUITOS PRESÉPIOS, ELE NÃO SE ENCONTRAVA. QUE PENA. QUE PENA. O QUE ESTÁ OCORRENDO COM NOSSAS FAMILIAS??? ESTAMOS PERDENDO O SENSO DA VERDADE, SENDO OMISSOS, MORNOS, SEM NOS INDIGNAR? PARABENS PELAS VOSSAS PALAVRAS. QUE DEUS NOS ILUMINE AINDA MAIS E AOS CORAÇÕES TÃO ENDURECIDOS PELO “PODER” E PELOS GANHOS COMERCIAIS. AMÉM.

Paulo H. De Cesare disse...

Com toda razão, foi triste ter um Papai Noel (e uma bicicleta!) no lugar de um presépio ou de alguma outra decoração que simbolizasse a Sagrada Família, enfim, o Natal.