4 de dezembro de 2013

Mais uma vez, adiada a votação do perverso PLC 122 (a “lei da homofobia”)

4-12-13 — Na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, debate sobre o PLC 122. À esq. senadora Ana Rita (PT-ES), à dir. senador Paulo Paim (PT-RS). [Foto: Geraldo Magela/Agência Senado]
Paulo Roberto Campos

A pedido do governo foi novamente postergado o dia para votação do PLC 122/2006 (a respeito, vide post anterior [abaixo]). Tal projeto de lei, aprovado na Câmara dos Deputados, aguarda exame no Senado Federal desde 2006. Se aprovado, representará a implantação da mordaça para tapar a boca de todos aqueles que defendem a família, como instituída por Deus, e impedir que se manifestem contra as imposições absurdas do movimento que propugna as práticas homossexuais, como, por exemplo, o "casamento" entre pessoas do mesmo sexo. Será a vez da ditadura homossexual no Brasil.

Segundo a matéria postada hoje no site do Senado, [* link abaixo] a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), o adiamento da votação foi motivado por pedido do líder do PT, o senador Wellington Dias (PT-PI).

Por sua vez, o senador Paulo Paim (PT-RS), relator da matéria e autor do substitutivo em exame na CDH, disse que foi procurado por outros parlamentares para adiar mais uma vez a votação. Afirmou também que não era ele que estava recuando da deliberação do projeto. O senador petista ainda confirmou que “líderes do governo e do PT marcaram reunião para amanhã [quinta-feira, dia 5] com o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, para debater melhor o texto antes da votação”.

Para a senadora Ana Rita (PT-ES), presidente do colegiado, “o projeto continua na pauta e será analisado na próxima reunião”. 
4-12-13 — Na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, delegações de movimentos que defendem a família. À esq. um representante do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira. [Foto: Geraldo Magela/Agência Senado]
Diletos leitores, assim sendo, não podemos abaixar a guarda enquanto tal projeto não estiver definitivamente arquivado — preferencialmente na lata de lixo da história. Não consideramos tal adiamento uma vitória, mas, sim, um mero recuo estratégico dos parlamentares que desejam nos enfiar goela abaixo a absurda e radical lei da mordaça homossexual. Eles esperam um momento em que os movimentos que defendem os valores da Família não estejam em alerda. Por exemplo, no período das festas de fim de ano, em que todos estejam voltados para outras preocupações. Foi o que ocorreu com a aprovação do famigerado Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3)  aprovado no apagar das luzes de 2009, por decreto do presidente Lula, assinado em 21 de dezembro.
4-12-13 — Na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, delegações de movimentos homossexuais. Na foto abaixo, o deputado Jean Wyllys, do mesmo movimento, confabula com o senador petista Paulo Paim. [Foto: Geraldo Magela/Agência Senado]

______________ 
(*) A respeito, aqueles que desejarem ler a íntegra da matéria — de autoria Rodrigo Baptista e intitulada “Votação de projeto que pune preconceito contra homossexuais é adiada a pedido do governo” —, ela encontra-se disponível no site do Senado Federal, no seguinte link:

3 comentários:

Lucas Janusckiewicz Coletta disse...

O Gilberto Carvalho foi seminarista não é? Então está provado a porcaria que estão ensinando nos seminários há muito tempo.

Francisco Guilherme disse...

Porcaria?? Explique.

Isayas disse...

Respondendo o Lucas, se me permite, se o Gilberto Carvalho foi seminarista é dos tais que saiu pior que entrou; talvez seus formadores tenham sido bons, mas sua origem familiar seria deficiente e ele se sentiu alheio num ambiente católico, ou outras razões, pois um católico aderir a comunistas é o mesmo que se associar ao diabo.
Guardo sempre em mente de cor o que está escrito na Quod Apostolici Muneris do papa Leão XIII: "Os comunistas, socialistas e niilistas são uma peste mortal que como a serpente se introduz por entre as articulações mais íntimas da sociedade humana, e a coloca num perigo extremo". Os últimos 10 papas, incluindo o saudoso Bento XVI têm duras condenações aos agentes de Satã, os comunistas.